terça-feira, 25 de agosto de 2015

Energia eólica em LG: projeto prevê desen


Créditos: Prefeitura de Laguna/DS



O projeto de estabelecimento de uma empresa de produção de energia eólica em Laguna pode fazer muito mais do que gerar renda, receita e empregos para a cidade. Caso o Grupo Open, que tem demonstrado interesse em se instalar na Cidade Juliana, consiga o aval de um leilão da Aneel previsto para novembro, o projeto deve trazer desenvolvimento para toda a região da Madre.

Os detalhes da estrutura que pode ser instalada em Laguna foram recentemente repassados ao prefeito Everaldo dos Santos, que deve estar empenhado em mediar um encontro com prefeitos de Tubarão, Capivari de Baixo e Jaguaruna para discutir o projeto, já que a usina eólica está planejada para ser instalada no bairro Madre, um ponto estratégico próximo à divisa desses quatro municípios.
Para a instalação, será necessária a abertura de 20 quilômetros de vias, incluindo a construção de uma ponte, que deve ser feita com recursos do Grupo Open. “Isso resultaria em um grande desenvolvimento econômico na região do complexo”, observa o representante da empresa, Leo Riffel.

Com investimentos iniciais de R$ 750 milhões, o Grupo Open, de Porto Alegre, prevê a geração inicial de 700 empregos diretos no período de instalação. Após a conclusão do projeto, em 2018, 100 funcionários diretos seriam mantidos no complexo.

O estudo a respeito do projeto já está pronto. A equipe técnica da Amurel pode ser acionada para auxiliar na questão infraestrutural. São quase quatro mil hectares de terras já adquiridos pelo grupo em Laguna. A criação das estradas no entorno será necessária para o tráfego de maquinário, caminhões e materiais para a instalação do Complexo Eólico.

“Já estamos em tratativas há cerca de dois anos. Esta será, sem dúvida, uma das maiores obras de engenharia em nossa região. Resultará em um salto no desenvolvimento econômico de Laguna e cidades vizinhas. A natureza também ganha muito, pois a geração de energia ocorrerá de uma forma totalmente sustentável”, salienta Everaldo. Caso consiga a habilitação no leilão da Aneel em novembro, a obra será iniciada de imediato.
Outras usinas
Santa Catarina já tem duas usinas eólicas, em Água Doce e em Bom Jardim da Serra. O projeto do complexo de Laguna prevê a instalação de 65 aerogeradores com hélices de 55 metros, o que resultará em cerca de 150 megawatts, o suficiente para abastecer 68 mil residências.

Construção de parque eólico pode iniciar em novembro


 






 

Créditos: Ilustração


Os ventos de Laguna serão internacionalmente conhecidos, como já ocorrem com algumas particularidades da cidade, como o saboroso camarão na área gastronômica e os pontos turísticos como a Pedra do Frade e o Farol de Santa Marta. Com investimentos iniciais de R$ 750 milhões, o Grupo Open, de Porto Alegre (RS), especialista em engenharias de energias renováveis, pretende iniciar no mês de novembro a construção do Complexo Eólico Nova Laguna.

A obra, que depende do aval de um leilão previsto para novembro, está prevista para durar três anos. Cerca de 700 empregos diretos serão gerados neste período. Após a conclusão, em 2018, o empreendimento terá pelo menos 100 empregos fixos.

Os detalhes desta imponente estrutura foram recentemente repassados ao prefeito Everaldo dos Santos, que deve mediar encontros com prefeitos de Tubarão, Capivari de Baixo e Jaguaruna, já que a usina eólica está planejada para ser instalada na localidade da Madre, um ponto estratégico próximo à divisa desses quatro municípios.

“Precisamos discutir a questão, já que serão necessários abrirmos 20 quilômetros de vias, incluindo aí a construção de uma ponte com injeção financeira do Grupo Open. Isto resultaria em um grande desenvolvimento econômico na região do complexo”, observa o representante da empresa, Leo Riffel.

O estudo a respeito deste projeto já está pronto. A equipe técnica da Amurel pode ser acionada para auxiliar nesta questão infraestrutural. São quase quatro mil hectares de terras já adquiridos pelo grupo em Laguna. A criação dessas estradas será necessária para o tráfego de maquinário, caminhões e materiais para a instalação do Complexo Eólico.

“Já estamos em tratativas há cerca de dois anos. Esta será, sem dúvida, uma das maiores obras de engenharia em nossa região. Resultará em um salto no desenvolvimento econômico de Laguna e cidades vizinhas. A natureza também ganha muito, pois a geração de energia ocorrerá de uma forma totalmente sustentável", resume o prefeito.
As direções do Departamento Estadual de Infraestrutura (Deinfra), governo do estado e Secretaria de Desenvolvimento Regional, além de outras autoridades devem ser acionadas para ingressar parceria ao projeto. Após habilitar o leilão, a obra será iniciada de imediato.

Santa Catarina já tem duas usinas eólicas, em Água Doce e em Bom Jardim da Serra. O projeto do complexo de Laguna prevê a instalação de 65 aerogeradores com hélices de 55 metros, o que resultará em cerca de 150 megawatts, o suficiente para abastecer 68 mil residências.


Nenhum comentário:

Postar um comentário