segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Asilo em Laguna sofre devido à falta de repasses


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 
O asilo Santa Isabel, no bairro Magalhães, em Laguna, passa por dificuldades financeiras sérias. A própria diretora da instituição, Juldina Fontanela, reconhece que as atividades estão à beira de um colapso devido à falta de dinheiro.

Em encontro realizado na sexta-feira, o prefeito Everaldo dos Santos se colocou à disposição para tentar resolver ou minimizar essa situação. Na ocasião, representantes da Beneditina Providência indagaram sobre repasses de recursos provenientes da União e do Estado, um montante de R$ 71.945,00 em custeio de alta complexidade e mais R$ 20.790,00 - que deveriam ser repassados pelo governo do estado - para compra de equipamentos.

Todos os valores são de convênios assinados no ano passado. Contadores da prefeitura informaram à direção do asilo que esses repasses foram trancados pelas esferas superiores do Poder Executivo.

O motivo externado é a crise do sistema financeiro instituída no Brasil desde o início do ano. “O problema é que esses recursos não foram repassados para o fundo municipal, se não já estariam na conta do asilo. Este é mais um imbróglio resultante da situação em que o país se arrasta. O resultado nós vemos todos os dias refletidos nas prefeituras e nas pequenas instituições”, lamenta Everaldo.

Somente com folha de pagamento, o Santa Isabel gasta R$ 46.500,00 ao mês. A associação também gerencia mais dois abrigos de idosos, em Goiás e no Paraguai. O prefeito afirmou que quer empenho total dos envolvidos na cobrança desses recursos. O montante em débito tem de ser pago até o próximo dia 31 de dezembro. Na segunda-feira, R$ 10 mil serão repassados para o asilo.

“É necessária uma ampla reforma com regime de urgência no Santa Isabel. A Vigilância Sanitária exigiu várias normas técnicas e não temos condições de arcar”, lamenta a irmã Juldina. Somente pequenas adaptações são executadas. Representantes da secretaria de Assistência Social, responsáveis por gerir os recursos das esferas superiores, devem reavaliar os convênios do Estado hoje, com a possibilidade de transferência de R$ 10 mil da União na terça. Na quarta, devem iniciar a elaboração de um fundo municipal.

Everaldo ainda propôs ao procurador-geral da prefeitura, Leandro Schiefler Bento, encaminhar um projeto de lei do Executivo para a Câmara, o qual isenta as taxas de alvará de funcionamento exclusivamente para o asilo.

Udesc Laguna oferece curso de dança e ioga


 
redacao@diariodosul.com.br
Dê a sua opinião
Comentários ou sugestões
Envie esta
notícia por e-mail
 
Neste semestre, o Centro de Educação Superior da Região Sul (Ceres), da Universidade do Estado de Santa Catarina (Udesc) em Laguna, abrirá turmas de ioga, dança de salão (iniciante, intermediário e grupo coreográfico), dança mix e, pela primeira vez, danças urbanas e jazz, por meio do programa de extensão Dança é Vida.
As vagas são gratuitas e abertas para a comunidade acadêmica e o público em geral. Os interessados deverão se inscrever na Secretaria de Extensão da Udesc Laguna entre terça, dia 25, e quinta-feira, dia 27. Os horários das turmas estão disponíveis no cartaz de divulgação.

Coordenado pelo professor Eric Zettermann, o Dança é Vida busca disseminar uma convivência social saudável por meio do movimento e da democratiza

Tiros assustam população

Tubarão
A madrugada de sábado foi assustadora para quem mora nas imediações do Posto de Combustíveis Fera, no bairro Humaitá, às margens da BR-101, em Tubarão. Cerca de quatro disparos de arma de fogo foram efetuados. 
A Polícia Militar foi acionada por volta das 3h50min ao estabelecimento por causa de uma briga. Dez pessoas que estavam no local foram revistadas, mas nada foi encontrado. A informação dada à polícia é de que os acusados pelos disparos fugiram, possivelmente em um Fusion.
Um vídeo foi postado no Facebook e começa com um dos envolvidos gritando. Logo se ouve o primeiro tiro. Um homem, que aparenta ser jovem, grita e pede o seu celular.

Ao que tudo indica, ele teria sido roubado pouco antes do momento em que foi flagrado. Logo em seguida mais tiros e gritos. Os responsáveis não foram localizados.
Em uma rede social, o vereador Edson Firmino disse que recentemente o assunto foi tratado em uma sessão na Câmara de Vereadores. “Farei novo requerimento solicitando ampliar as medidas que assegurem à população o ir e vir sem exposição a uma bala perdida”, conclui.ção da cultura. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail dancaevidaceres@gmail.com.



Nenhum comentário:

Postar um comentário