terça-feira, 28 de julho de 2015

Jovem é baleada na perna

Ela foi socorrida pelo seu namorado e não corre risco de morrer.
Pescaria Brava

O susto foi grande ontem para as pessoas que estavam em um clube no bairro Taquaraçu, em Pescaria Brava. Uma mulher foi atingida por um disparo de arma de fogo.
A jovem de 19 anos estava em frente ao estabelecimento quando foi baleada em uma das pernas, na região do joelho, por volta das 5 horas. Ela foi socorrida pelo seu namorado de 18.

O rapaz a colocou em seu veículo e a levou para o Hospital Nossa Senhora da Conceição (HNSC), em Tubarão. Ao chegar na instituição, uma guarnição da Polícia Militar foi acionada.

Ela contou aos policiais que não viu ninguém e nem de onde vieram os tiros. A jovem não corre risco de morrer. Conforme a Polícia Militar, não há informações concretas se o alvo era a moça ou se foi uma bala perdida de outra ocorrência.

A região contabiliza 21 homicídios neste ano. Tubarão lidera o número, com oito assassinatos. Em segundo está Laguna, com sete. Três pessoas foram mortas em Imbituba. Armazém, São Ludgero e Sangão possuem um homicídio em cada um.

Em Pescaria Brava, o último assassinato ocorreu no ano passado.

Lei para a demolição é sancionada

A destruição deverá ocorrer nos próximos dias. Porém, tudo dependerá das condições climáticas.
Jailson Vieira
Laguna
O projeto de lei complementar número 317/15, que permite a demolição do pórtico, foi sancionado pelo prefeito de Laguna, Everaldo dos Santos. Com isto, será possível dar continuidade à obra da avenida João Marronzinho, no bairro Portinho.

O secretário de obras, Renato de Oliveira, esclarece que a empresa Setep executará os serviços em breve, o que poderá ocorrer na próxima semana. “Tanto a prefeitura quanto a empresa querem a celeridade para o início dos trabalhos. As questões de demolição do pórtico e das licenças ambientais demoraram um pouco e, desta forma, o cronograma atrasou. Porém, com estes assuntos resolvidos vamos começar a tão esperada obra”, expõe.

A expectativa para a conclusão dos trabalhos na avenida é de 60 dias. “A obra está bem adiantada. Esperamos que em dois meses esteja finalizada, mas tudo dependerá das condições climáticas”, observa.

A avenida João Marronzinho será composta por pista dupla dos dois lados, que terão 3,5 metros de largura e acostamento com 1,5 metro. O lado esquerdo da via contará com ciclovia e faixa de passeio, já no lado direito terá uma faixa de passeio para pedestres. As vias serão separadas por um canteiro central de um metro.
Fosfateira

Justiça Federal recebe denúncia do MP

O objetivo é apurar se houve omissão de dados nos estudos ambientais.
Anitápolis
Com o objetivo de apurar os crimes, em razão da omissão de dados e informações referentes ao diagnóstico ambiental realizado para a instalação da Indústria de Fosfatados Catarinense (IFC), em Anitápolis, o Ministério Público Federal entrou com uma ação penal contra a empresa que elaborou o estudo do projeto e seus diretores. Ontem, a Justiça Federal recebeu a denúncia.

A ação cita a elaboração “de um estudo parcialmente falso ou enganoso, por haver omitido dados referentes ao diagnóstico ambiental da Linha de Transmissão da área de estudo do empreendimento, do Porto de Imbituba, do terminal ferroviário de expedição de superfosfato simples de Lages, bem como por não ter incluído na Área de Influência Direta (AID) do empreendimento trechos do rio Braço do Norte”.

A organização não governamental (ONG) Montanha Viva, que deu início ao movimento contra a fosfateira e propôs a ação há seis anos, requereu à justiça federal que mantenha a liminar até que o processo seja julgado. Fato que contribui para que a empresa extratora não entrasse em operação até o momento.

Conforme o advogado da ONG, Eduardo Bastos Moreira Lima, se ao final houver condenação estará comprovado que os estudos ambientais eram mal elaborados e poderiam comprometer o resultado final de todo o procedimento com riscos incalculáveis.

Os acusados têm o prazo de dez dias para apresentar a defesa. Caso considerados culpados, a pena é de quatro anos ou mais de detenção. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário