domingo, 6 de abril de 2014

Pescadores esperam pelo frio para a chegada da tainha
“O movimento ainda está fraco”, afirma o pescador Robson José de Oliveira. No último final de semana, ele e seus parceiros conseguiram pescar algumas tainhotas, entretanto, a safra vai crescer mais para o final do mês de abril. “Com o vento sul chegando, nossas tainhas começam a aparecer”, conta o pescador, que costuma pescar nos Molhes da Barra. Os nativos pescadores costumam dizer que o peixe chega no terceiro vento sul forte mais frio.
É quando o tempo esfria que os cardumes vêm em busca de águas mais quentes. Os pontos de partida são o litoral do Rio Grande do Sul e a bacia do Rio da Prata, entre Uruguai e Argentina, grandes berçários do peixe. Mais de 50% dos cardumes acabam nas redes dos pescadores catarinenses.
Segundo o secretário da Pesca, José Carlos Mendes Neto, a expectativa para a chegada da época mais farta de peixes do município é grande entre os que vivem da prática. “Nosso verão foi forte relacionado à pesca do peixe parati, entretanto, nada é comparado à temporada da tainha, que é um dos principais elementos da economia lagunense”, conta o secretário.
O pescador Robson José está no aguardo da liberação e da vinda das tainhas. “São elas que garantem nossa época maior de vendas. Estamos preparados para a chegada delas, nossas redes estão prontas e ansiosas”, brinca Robson.
A abertura para a pesca da tainha na região está marcada para o dia 15 de maio. Entretanto, existe um pedido entre os pescadores para a antecipação desta data. De acordo com a superintendência do Ministério da Pesca e da Aquicultura em Santa Catarina, a decisão está em Brasília, mas não há nada concreto sobre a antecipação do término do defeso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário