quarta-feira, 23 de abril de 2014

Suspeito de tiros depõe e é liberado


Um jovem de 20 anos, detido na tarde seguinte ao homicídio do jovem de 16 anos, ocorrido em frente a uma casa noturna em Gravatal, prestou depoimento e foi liberado. O rapaz é um dos suspeitos de ter efetuado os disparos que tiraram a vida de Willian de Souza Jochen, na madrugada de segunda-feira.
De acordo com o delegado da Comarca, José David Machado, o suspeito foi capturado horas após o crime, pela guarnição da Polícia Militar (PM) de Gravatal, quando saía de um matagal. Segundo a polícia, a princípio o jovem negou envolvimento no caso, entretanto, após apresentar diversas contradições, teria confessado a participação na confusão que culminou na morte do adolescente.
“Ele prestou depoimento e foi liberado. Seguimos com as investigações e a possível participação de outras pessoas. Esta semana teremos novidades. Seguimos com os depoimentos dos seguranças da boate e testemunhas para apurar os fatos”, antecipa o delegado.
A morte de Willian teria acontecido após uma discussão com outros jovens. A briga teria iniciado dentro da casa noturna, quando Diego teria sido retirado do local pelos seguranças. Do lado de fora, a discussão teria continuado, quando cinco disparos teriam sido efetuados. Dois atingiram o garoto: um no peito e outro no pescoço.
Em TB, entrada somente para maiores de 18 anos
Diferentemente da Comarca de Armazém, em Tubarão, conforme o Setor de Jogos e Diversão da Delegacia Regional, a entrada de menores de 18 anos em casas noturnas não é permitida. Além disso, segundo o responsável pelo setor, Alexandre de Freitas, também há a exigência de que os seguranças desses locais sejam credenciados pela Polícia Federal.
“Aqui em Tubarão, assim que emitimos o alvará para a casa noturna ela precisa ir até a Vara da Infância e Juventude para obter a certificação e a autorização de que fica expressa a entrada somente para maiores de 18 anos”, explica Alexandre.
“Mesmo com a proibição em alguns locais e outros não, para menores de 18 anos, sabe-se que os jovens/adolescentes vão para as ruas durante a noite/madrugada. Não é que eles não possam. Mas, em casos como esses, os jovens estão desamparados e um possível agressor não sabe se ele é ou não adolescente. Por isso, os pais devem ficar atentos”, opina o responsável pelo Setor de Jogos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário